Dica nº 13 - Sobre a Necessidade de Revisar Nossos Textos

06/02/2018 - 10:40

Sobre a Necessidade de Revisar Nossos Textos

Diz-se que a pressa é inimiga da perfeição, ou, pelo menos, impede que nosso trabalho, realizado açodadamente, saia melhor do que seríamos capazes de produzir. Portanto, por mais que o chefe tenha urgência em receber a tarefa de que nos incumbiu, devemos desenvolver o hábito de rever cuidadosamente o texto que redigimos – memorando, ofício, ata, relatório – antes de dá-lo como pronto e encaminhá-lo. O certo é que falhas apontadas em nosso texto por falta de revisão esmaecem nossa credibilidade, provocam desconfianças, embora nem sempre esse sentimento seja justo.

A par da norma culta da língua, mais formal e cuidada, também fazemos uso da linguagem coloquial, mais descontraída, solta, espontânea. Cada qual tem o momento e a situação mais adequada para ser utilizada. Os textos produzidos no âmbito da administração pública requerem o primeiro registro.

Vamos apresentar algumas frases colhidas em jornais e revistas cuja redação contraria a norma culta da língua. Mas fica a dúvida: em alguns casos, falhou a revisão ou optou-se pela linguagem coloquial?

1. Já a defesa conduziu o debate na tentativa de convencer os jurados de que não haviam provas suficientes para a condenação. (G1 Minas Gerais, 11.02.14)

– haviam / o correto : havia (= o verbo haver no sentido de existir não vai para o plural)

2. Até os religiosos dirigiam a ela olhares profanos: É a mais airosa e amena baía que há em todo Brasil. (VENTURA, Zuenir. Musa de corpo e alma. Revista O GLOBO, 23.02.14, p. 44)

– em todo Brasil / o correto : em todo o Brasil (= no Brasil inteiro)

3. Prefiro ser governado por um turco sábio do que por um cristão tolo. (Jornal O GLOBO, 02.02.14, p. 21 - frase atribuída a Martinho Lutero)

– do que / o correto : a sê-lo ( = preferimos alguma coisa a outra)

        4. Em todos os jogos que ele participou foi muito bem. (Jornal O GLOBO, 22.02.14, p. 44)

– que / o correto : de que (= participamos de alguma coisa)

5. Mas melhorou e participou mais das jogadas de ataque até ser substituído 20 minutos do fim da partida. (Jornal O GLOBO, 27.10.13, p. 58)

– há / o correto : a (= referência a tempo futuro)

6. ...na realidade, ele não existe, apesar do Natal ser uma data especialíssima. (Colunista convidado – Simone. Revista O GLOBO, 22.12.13, p. 24)

– apesar do Natal / o correto : apesar de o Natal ( = o sujeito não deve ser preposicionado)

 

7. Somos articuladores, um elo de ligação entre quem apoiar e quem precisa de apoio. (Dois sucos e a conta com...Pedro Werneck. Revista O GLOBO, 22.12.13, p. 12)

– um elo de ligação / o correto : um elo ou uma ligação (= emprega-se uma ou outra palavra: as duas juntas constituem um pleonasmo vicioso)

8. Tem sempre alguém com uma arma entre a ideia e eu. (Dois cafés e a conta com...Raul Santiago. Revista O GLOBO, 12.04.15, p. 10)

– entre a ideia e eu / o correto : entre a ideia e mim = a preposição ENTRE exige o pronome oblíquo MIM)

9. Quando esse percentual chega a 95%, a LRF proíbe qualquer movimentação de folha que implique em aumento de gastos. (Jornal O GLOBO, 02.08.16, p. 17)

– implique em aumento / o correto: implique aumento (= o verbo IMPLICAR no sentido de provocar, acarretar é transitivo direto; não se pode usar a preposição EM)

10. Uma grande lição que meu avô deixou é que não existia duas maneiras de se tratar um paciente. (Antônio Paulo Pitanguy - Jornal O GLOBO, 08.08.16, p. 10)

- existia / o correto: existiam (= o verbo EXISTIR deve concordar com o sujeito DUAS MANEIRAS)

11. A distorção de valores chegou a tal ponto que pessoas discretas são consideradas arrogantes, os modestos são vistos como dissimulados e os que se rendem a modismos são taxados de esnobes. (Revista O GLOBO, 27.05.12, p. 26)

– taxados / o correto : tachados (no sentido de considerados, seguido de palavra de valor negativo)

12. Há anos eu tinha vontade de apresentar um programa sobre educação e o convite veio de encontro com esse desejo. Estava no lugar certo, na hora certa – comemora a jornalista Sandra Annemberg. (Jornal O GLOBO, Segundo Caderno, 02.06.12, p. 10)

– de encontro com esse / o correto: ao encontro desse (no sentido de concordância, aproximação; a expressão de encontro a tem o sentido contrário: choque, discordância)

13. E subitamente me deu uma vontade incontrolável de voltar a assistir aqueles shows. (Revista O GLOBO, 20.05.12, p. 22)

– aqueles / o correto: àqueles (o verbo assistir pede a preposição A + aqueles = àqueles)

 14. Eu só soube uma semana e meia antes, porque Kin pediu para um rabino de Las Vegas oficializar a cerimônia. (Jornal O GLOBO. 30.03.14, p. 41)

– pediu para um rabino de Las Vegas oficializar / o correto: pediu que um rabino de Las Vegas oficializasse; só se emprega pedir para quando houver, a seguir, a palavra licença: pediu (licença) para...)

15. Independente de qual seja a sua posição, o que quer que esteja acontecendo agora nas ruas se assemelha mais a uma "festa da democracia". (Tony Belloto. Eterno retorno. Jornal O GLOBO, Caderno B, 15.03.15, p. 8)

– Independente / o correto: Independentemente (advérbio); emprega-se independente como adjetivo: país independente, mulher independente)